Container

Palácio do Comércio

Endereço: Rua Sete de Setembro, 274/7º andar - Centro - Pelotas - RS

Telefone: (53) 3307-0313 - - Twitter: @pelotas13horas

Programa: Pelotas 13 Horas, onde o debate é livre e a opinião independente

Plataforma Portais Eletrônicos

Identifique-se

Painel de Controle

Mala Direta

Clayton Rocha - Trajetória

    Opiniões

    Semana da Pátria

    Quando desfilei pelo Exército, com o fuzil atravessado em meu peito, passei pelo Altar da Pátria fortemente emocionado. Haveria um sentimento patriótico mais forte do que hoje?

    Publicado 31/01

    Para ter-se noção do que representava a Semana da Pátria em Pelotas, em alegria e movimentação dos jovens, basta dizer que era costume compará-la com o carnaval. Claro, cada momento desses com suas características próprias.

    Minhas primeira participações datam da década de quarenta. Os alunos dos ginásios Pelotense e Gonzaga, usávamos farda de cor cáqui, semelhante às das forças armadas. A cabeça era coberta por um quepe ou por casquete e o uso de um ou de outro estava na vontade dos alunos ou, por ordem da direção, que determinava qual a cobertura a ser usada em alguma exibição pública.

    O cinturão do Pelotense apenas envolvia a cintura e o fecho era com uma fivela com as letras GP; o do Gonzaga era complementado por um talabarte e a fivela, grampeada. As meninas do Pelotense(que era um colégio misto, ao contrário do Gonzaga) vestiam túnica militar, como nós, e saia azul, creio que em tom celeste.

    Havia outros três colégios femininos que se destacavam, o Ginásio São José, o Ginásio Santa Margarida e Escola Fundamental Assis Brasil. O contingente destes cinco colégios, mais a Escola Técnica de Pelotas, cuja instrução focava o ensino técnico, e outros tantos educandários menores, formavam um contingente de jovens estudantes extraordinariamente numeroso.

    Pois bem, cada dia da Semana da Pátria, de 1º a 7 de setembro, cabia a um dos colégios, pela manhã, às 8 horas, hastear a bandeira nacional no Altar da Pátria e, às l8 horas, arreá-la.

    No princípio, pelo menos no meu princípio, o Altar da Pátria ficava na Praça, onde hoje está a estátua do Coronel Pedro Osório. Mais tarde, já nos primeiros anos cinquenta, o Altar da Pátria foi transferido para a Avenida Bento Gonçalves. Os dois instantes, o do hasteamento e, principalmente, o do arreamento, juntava grandes multidões.

    O interessante é que as paradas, com ressalva para a da Juventude, quando desfilavam praticamente todos os estudantes da cidade, causavam grande emoção na assistência e, não raro, viam-se pessoas comovidas até às lágrimas, numa manifestação de apaixonado patriotismo, o que se acentuava na hora do Hino Nacional.

    Quando desfilei pelo Exército, com o fuzil atravessado em meu peito, passei pelo Altar da Pátria fortemente emocionado. Haveria um sentimento patriótico mais forte do que hoje?

    As tardes dos dias da Semana da Pátria eram dedicadas a competições esportivas, quase sempre realizadas na Escola Técnica.

    Despontavam aí as grande rivalidades entre os ginásios Pelotense e Gonzaga, apelidados, por causa das letras iniciais, por si mesmos, de Gatos Pelados e Galinhas Gordas e também entre o Santa Margarida e o Assis Brasil, que disputavam a supremacia no vôlei. Os esportes em disputa eram principalmente vôlei e basquete.

    Não sei bem quando isso aconteceu, mas a partir de certo momento o termo ginásio foi substituído por colégio. Talvez tenha sido na esteira de alguma reforma na educação.

    As torcidas iam à loucura e as cousas ficavam mais complicadas quando em um casal de namorados cada um torcia para lado diferente. A par de toda essa movimentação esportiva, o lado chamado social, assim como bailes, brincadeiras e pequenas reuniões em confeitarias, basicamente na Nogueira e na Fruteira, agitava-se intensamente.

    Em função das crônica que às vezes escrevo, classificam-me de saudosista.

    A palavra saudosista parece que carrega consigo algo depreciativo ou de menor valor ou piegas. Pois vejo nela um significado, se quiserem, até nobre.

    Sente saudade quem tem espiritualidade, quem vai buscar no passado, muitas vezes para aliviar as agruras do presente, momentos inolvidáveis que a simples lembrança enche de satisfação. Sente saudade que colecionou recordações. Sente saudade quem já deixou, no caminho, pessoas queridas e que fizeram parte de nossas vidas.

    Lembro, lembro com saudade as cousas maravilhosas que vivi e as relembro aqui para dividi-las com quem me der atenção. Dizem que não há palavra equivalente à saudade em outras línguas.

    O sentimento que ela traduz, não precisa explicar, está ligado somente ao que de bom aconteceu, daí vem, com certeza, o gosto adocicado que sinto quando ouço a palavra saudade.

    Leia mais sobre: Opiniões, José Rodrigues Gomes Neto

    Fonte: José Gomes Neto

    Compartilhe

    Delicious Digg Google Bookmarks Mixx MySpace Reddit Sphinn StumbleUpon Technorati RSS

    Comentários (1)

    feito em 05/09/2016 15:54:55

    INDEPENDÊNCIA DO BRASIL - 2016 , QUANDO CHEGARÁ ?
    7 de setembro de 2016 festejar a Independência do Brasil ? - Conscientemente o que temos a festejar? O desrespeito e a manipulação Constituição Brasileira ? A Ditadura do Poder Judiciário?
    O desfile cívico-miltar . Mais uma falácia( Argumento ou raciocínio falso com aparência de verdadeiro) para enganar o povo brasileiro, íntegro, honesto e patriota. O Brasil não está Independente da Corrupção. Não está livre do domínio corrupto-político-partidário legislando, executando, e julgando em benefício próprio e pessoal, com prejuizo dos destinos da Nação Brasileira.
    Nossa breve história da corrupção pode induzir à compreensão de que as práticas ilícitas reaparecem como em um ciclo, dando-nos a impressão que o problema é cultural quando na verdade é a falta de controle, de prestação de contas, de punição e de cumprimento das leis. O Foro Previlegiado, o descumprimento e a manipulação da Constituição pelo Judiciário são as principais delas.
    A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito. Portanto, significa que nenhum indivíduo, presidente ou cidadão comum, está acima da lei. Em um estado de direito, as próprias autoridades políticas estão sujeitas ao respeito das regras de direito.
    Precisamos decidir se desejamos um país que compartilhe de uma regra comum a todos os cidadãos ou se essa se aplicará apenas a alguns favorecidos e previlegiados

    A ditadura do judiciário é uma ditadura sem armas, bem diferentes das ditaduras de outrora. Mas, nem por isso menos cruel, pois pode cercear o bem maior do cidadão e da cidadã – a sua liberdade. Astuto, o ditador do judiciário camufla-se como um lobo, só que ao invés da pele de cordeiro utiliza-se da toga, não mais como um símbolo da magistratura e sim como uma armadura para ostentar o poder e ser temido pelos “meros mortais”. O som característico do malhete, deste juiz corrupto muda o significado de : “a justiça foi feita”, para: “a minha vontade foi feita”.
    Mediante a omissão de ação por parte das Forças Armadas Brasileira ( as manifestações verbais do atual Comandante do Exército Brasileiro são redicularizadas e ignoradas pela corrupção generalizada nos tres poderes da constituição brasileira) Também as declarações Das Forças Armadas "Não vai haver Intervenção militar"! Palavras do Exmo. Sr. Gen.Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, subordinado a um Ministro da defesa militante do Socialismo Comunista.( Será que este Renomado General está também subjugado pelo Foro de São Paulo ? ) Nós cidadãos, honestos, integros e patriotas, não podemos ficar calados, mas também temos de agir de forma determinada, unida, ordeira e discilinada.
    Por essa razão, tudo nos leva a crer que a ditadura do judiciário somente sucumbirá se houver um esforço comum, sem participação do STF, por parte do poder judiciário (mediante os verdadeiros juízes e um Conselho Nacional de Justiça mais atuante.., o Superior Tribunal de Justiça, os Tribunais Regionais Federais e Juízes Federais, os Tribunais e Juízes do Trabalho, os Tribunais e Juízes Eleitorais, os Tribunais e Juízes Militares e os Tribunais e Juízes dos Estados e do Distrito Federal e Territórios.), do poder executivo, das entidades organizadas, especialmente a Ordem dos Advogados do Brasil, e da sociedade para juntos com o poder legislativo promoverem mecanismos constitucionais que possam pôr fim a atual ditadura e assegurar o seu não ressurgimento.
    Sentir Vergonha, falar sem agir, manifestação popular de rua, não tem efeito para esta minoria comunista corrupta que ocupa o poder no Brasil no dia de Hoje. Precisamos pelo menos de tôdas as Forças Armadas da Nação e dos Estados da Federação. O próximo dia 7 de setembro, no desfile cívico-miltar poderá ser a demonstração deste apoio contra a sórdida corrupção e descumprimento da Constituição Brasileira.
    Relembremos Rui Barbosa.
    -De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto.
    - A pior ditadura é a ditadura do Poder Judiciário. Contra ela, não há a quem recorrer.
    Faço um apêlo aos homens e mulhers de bem da Nação Brasileria. Ou ficar a pátria livre ou morrer pelo Brasil. Ação pela Liberdade, Igualdade, Humanidade.
    Que o Grande Arquiteto do Universo nos ilumine e guie.

    Deixe um comentário

    ATENÇÃO: O comentário não exige identificação e somente será publicado quando aprovado pelo editor do site.

    Siga esta matéria

    Informe seu nome e e-mail abaixo para o sistema enviar um aviso quando houver atualizações nos comentários desta matéria.

    Topo 980x160

    banner4 160x90

    banner1 160x180

    banner2 160x180

    banner2 160x90

    banner1 160x90

    banner3 160x90