Container

Palácio do Comércio

Endereço: Rua Sete de Setembro, 274/7º andar - Centro - Pelotas - RS

Telefone: (53) 3307-0313 - - Twitter: @pelotas13horas

Programa: Pelotas 13 Horas, onde o debate é livre e a opinião independente

Plataforma Portais Eletrônicos

Identifique-se

Painel de Controle

Mala Direta

Clayton Rocha - Trajetória

    Da redação

    Operação Delete: Pelotas na rota de grupo que age com lavagem de dinheiro

    A Polícia Civil desencadeou operação para o cumprimento de 24 mandados.

    Publicado 26/10

    Charqueadas, Pelotas e Capão da Canoa. Nos três municípios, a investigação policial identificou conexões de grupo criminoso. Em Charqueadas, detido na Penitenciária de Alta Segurança, estaria na coordenação das ações. Entre os crimes atribuídos, estão o tráfico de entorpecentes e a lavagem de dinheiro. De acordo com a Polícia Civil, desde março houve o monitoramento do “modus operandi”. Além de estratégias para ampliar as vendas no mercado das drogas, foi verificado que o grupo dispunha de organização para destinar os recursos provenientes do tráfico. E, além do município litorâneo de Capão da Canoa, na rota do crime também consta Pelotas.

    DEFREC – Ontem pela manhã, policiais desencadearam a Operação Delete, designação do ambiente digital, cujo significado remete ao fim de uma ação. Numa analogia com o grupo investigado, pode ser interpretada como a desarticulação da prática criminosa. Na “Delete”, trabalho de policiais da Delegacia Especializada em Furtos, Roubos, Entorpecentes e Captura (DEFREC), que realizaram o cumprimento de 24 mandados de busca e apreensão. A operação abrangeu os três municípios.

    LAVAGEM – Para “lavar” o dinheiro oriundo de práticas criminosas, o grupo constituía patrimônio, com investimento em imóveis, e também em veículos com alta cotação no mercado. Além de negócios no Estado, preferencialmente no litoral norte, também houve ações de “lavagem de dinheiro” no Paraná.

    APREENSÃO de imóveis e contas bancárias. Conforme determinação judicial, a operação bloqueou catorze contas dos envolvidos. Noutra frente da operação, o “sequestro” de cinco imóveis dos criminosos.

    FAMÍLIA – Na investigação policial, também foi arrolado que, além do preso na penitenciária de Charqueadas, uma família com extensa ficha criminal, estava à frente de inúmeras ações do grupo. 

    Leia mais sobre: Da redação, Geral, Notícias Locais, Polícia

    Compartilhe

    Delicious Digg Google Bookmarks Mixx MySpace Reddit Sphinn StumbleUpon Technorati RSS

    Deixe um comentário

    ATENÇÃO: O comentário não exige identificação e somente será publicado quando aprovado pelo editor do site.

    Siga esta matéria

    Informe seu nome e e-mail abaixo para o sistema enviar um aviso quando houver atualizações nos comentários desta matéria.

    Topo 980x160

    banner4 160x90

    banner1 160x180

    banner2 160x180

    banner2 160x90

    banner1 160x90

    banner3 160x90